Robin Gibb, do Bee Gees, acorda do coma e mostra sinais de melhora

E! News | Faz 5 anos

 

Frank Hoensch/Getty Images



Robin Gibb superou as probabilidades mais uma vez.

O E! News confirma que depois de entrar em coma após contrair uma pneumonia durante sua briga contra um câncer no fígado, o cantor do Bee Gees acordou e mostrou "notáveis" sinais de recuperação.






Os médicos de Gibb divulgaram um comunicado dizendo que são "confundidos" pelo seu "indomável espírito de luta e notável resistência física".

"Robin está totalmente consciente, lúcido e apto a falar com seus amados", disse o Dr. Andrew Thillainayagam, "Ele está respirando sozinho, com uma máscara de oxigênio. E está com alimentação intravenosa e tomando antibióticos".

Doug Wright, o porta-voz de Gibb, disse ao Daily Mail que o músico consegue balançar a cabeça e se comunicar com os familiares que ficaram ao seu lado no hospital de Londres, chegando até a dizer "Olá, RJ" ao filho quando acordou.

Embora Gibb tenha respondido bem à agressiva quimioterapia pela qual passou para tratar o câncer, ele acabou pegando uma pneumonia enquanto se recuperava de uma cirurgia de emergência.

O estado do cantor era consoderado grave, e ele foi transferido para a unidade de terapia intensiva, em que ficou com ventilação artificial depois de não responder à fisioterapia do peito e aos antibióticos.

E Gibb não teve apenas pneumonia, ele também teve inchaço no cérebro decorrente de uma insuficiência hepática e seu sistema imunológico ficou enfraquecido depois que ele passou por uma desnutrição. A situação era tão grave que o médico chegou a dizer à família do cantor que temia que ele não iria se recuperar.

Embora ele continue fraco, o objetivo imediato dos médicos "é garantir que o mecanismo de deglutição de Robin esteja funcionando para que ele possa comer e beber, e que ele esteja recuperado o suficiente para respirar de forma efetiva, sem a ajuda da máscara de oxigênio".

"Quando isso acontecer, poderemos começar o processo de nutrição e reabilitação física", continuou o comunicado, "E talvez possamos movê-lo da UTI para a enfermaria".