Próximo papel de Angelina Jolie: viver um drama no tribunal

E! News | Faz 5 anos

 

GK Films; Dave Allocca/Startraksphoto.com




Haverá sangue, de verdade, mas será derramado em um tribunal de Los Angeles.

Angelina Jolie perdeu sua tentativa de ter um caso de plágio contra ela arquivado, após um juiz determinar que a ação de violação de direitos autorais, envolvendo sua estreia como diretora em In the Land of Blood and Honey, será movido de Illinois para Los Angeles.






O jornalista, James Braddock, apresentou uma queixa, em dezembro do ano passado, alegando que o filme de Jolie plagiou seu livro The Soul Shattering, que foi publicado em 2007.

Jolie havia pedido que o caso, originalmente apresentado em Illinois, fosse rejeitado por falta de jurisdição. O juir, Robert M. Dow Jr., em um memorando de oito páginas obtido pelo E! News, transferiu o processo para Los Angeles e negou o pedido de Jolie.

Dow afirma que decidiu seguir com o caso porque a maioria dos documentos e testemunhas principais estão na Califórnia.

A decisão também cita Jolie como a principal testemunha. "A senhora Jolie, que reside em Los Angeles, não só escreveu o roteiro, como também dirigiu e produziu o filme".

Braddock alega que Jolie teve acesso a seu livro, que foi originalmente publicado em croata, enquanto fazia pesquisas para seu filme. Em sua ação, ele também afirma que havia conversado com um produtor sobre a possibilidade de adaptar seu romance para o cinema, mas não sabia que o produtor estava em contato com a atriz sobre o projeto que viria a se tornar o In the Land of Blood and Honey.

O filme chegou a receber uma indicação ao Globo de Ouro, por Melhor Filme Estrangeiro, embora tenha sido amplamente considerado uma decepção, segundo a crítica.