Príncipe Harry conta detalhes de sua missão no Afeganistão e comenta escândalo das fotos

E! News | Faz 5 anos

 

John Stillwell - Pool/Getty Images



Confira os melhores momentos da entrevista






Depois de se tornar o protagonista de um grande escândalo, em que foi fotografado pelado durante uma festinha em seu quarto de hotel em Las Vegas, o Príncipe Harry foi enviado à sua segunda missão no Afeganistã, que deve terminar ainda este mês.

Desde então, o ruivo real se manteve longe dos holofotes, exceto pela notícia de que estaria sendo ameaçado pelo Taleban, grupo fundamentalista islâmico.





Leve o E! Online Brasil no bolso! Baixe o aplicativo do E! na Apple Store, Google Play ou Blackberry App World





Em entrevista à BBC britânica, o príncipe, que é co-piloto Apache, fez uma série de revelações, como por exemplo como lida com suas missões, e ainda falou sobre o grande escândalo das fotos e sobre se tornar titio.





Siga o E! Online Brasil no Twitter





Quando perguntado se havia matado alguém durante a missão, Harry respondeu: "Sim, assim como muitas pessoas. O esquadrão fica atento. Todo mundo tem que atirar. Se há pessoas tentando fazer coisas ruins com os nossos caras, então temos que tirá-las do jogo. Nós atiramos quando temos que atirar, tiramos uma vida para salvar outra, mas essencialmente nós somos mais um impedimento do que qualquer outra coisa".

"Nosso trabalho aqui é garantir a segurança de quem está no chão. Agora se isso significa atirar em alguém que está atirando neles, então é o que faremos", continuou ele.

Sobre a ameaça de ataque do Taleban, o príncipe contou que foi levado para um local seguro, já que estava no meio do Afeganistão. "Obviamente, os papeis em casa diziam ‘isso tudo é contra ele'. Ninguém sabe direito ainda. Mas de qualquer jeito, o campo é no meio do Afeganistão e era esperado que fosse atacado em algum momento... Aconteceu no meu aniversário, então foi como voltar a realidade", declarou ele.





LEIA MAIS:

Astro de Glee é acusado de abuso sexual

Daniel Radcliffe fala sobre cena de sexo gay em filme

Kourtney revela segredo de Kim Kardashian





Harry também comentou o fato de seu irmão, o Príncipe William, trabalhar como piloto de resgate da Força Aérea Real enquanto ele é enviado em missões no exterior.

"Obviamente ele adoraria estar lá fora, e honestamente eu não vejo porque ele não poderia. Ninguém saberia que era ele na cabine de piloto. Sim, ele seria baleado, mas se os caras que estão fazendo o mesmo trabalho que nós estão sendo baleados, não vejo problema em sermos baleados também. As pessoas têm problemas com isso, mas não somos especiais, quem está lá é que é. É simples assim", declarou o príncipe.



John Stillwell - WPA Pool/Getty Images



Deixando de falar sobre o trabalho, Harry comentou seu último grande escândalo, que aconteceu em agosto do ano passado, definindo-o como um exemplo clássico de ele sendo "muito militar e não tão príncipe".

"Provavelmente me decepcionei, decepcionei minha família e outras pessoas. Mas no final eu estava em uma área privada e deveria ter tido alguma privacidade", continuou ele.

"Você tem que ser capaz de virar a chave o tempo todo. Acho que já disse isso há um tempo, mas existem três ‘eus'. Um no exército, um social – meu momento privado – e um com a família e coisas do tipo. Gosto de pensar que é equilibrado. O exército vem antes, afinal é o meu trabalho", explicou Harry.

E por falar em família, o príncipe revelou que não vê a hora de se tornar tio e que está muito feliz pelo irmão e por Kate Middleton.

"Obviamente estou muito feliz por eles. Já era hora! Mal posso esperar para ser tio! Eu falei com meu irmão e com ela, e eles estão muito bem e muito felizes. Acho que é injusto que eles tenham que tornar isso público, mas assim é a mídia", declarou ele.









Príncipe Harry hot hot