Príncipe Harry conquista a Jamaica: Cita Bob Marley, dança, e abraça o Primeiro Ministro…

E! News | Faz 5 anos

 

Optic Photos, PacificCoastNews.com



Podemos dizer que a primeira viagem internacional do Príncipe Harry representando a realeza está passando como uma tempestade.

Ele já participou de uma festa em um festival de rua, visitou um hospital de crianças, enfrentou Usain Bolt... E é claro, tem toda atenção da imprensa voltada para si.

E em seu último dia sozinho, ele conseguiu agradar ainda mais o povo da Jamaica por citar publicamente o maior filho do país (Bob Marley, é claro) e por dar um grande abraço de urso no Primeiro Ministro.

Mas há uma coisa que ele se recusou a fazer...






Harry descartou os planos de descer de rapel a torre da sede da Força de Defesa da Jamaica, em Kingston, e optou por simplesmente assistir as tropas da nação participando da aventura.

Sua desculpa? Respeito.

O príncipe, não vamos esquecer, agora capitão do Corpo Aéreo do Exército, decidiu que este tipo de demonstração não seria adequada ao atual temor da morte de seis soldados britânicos no Afeganistão nesta semana.

"O Príncipe Harry não quer participar das atividades militares  que sejam consideradas periféricas para um piloto Apache neste dia em que o foco do exército britânico deve estar em suas principais funções profissionais e no cuidado com aqueles que estão de luto pelos soldados mortos no Afeganistão", disse um porta voz do Palácio St. James.





Enquanto isso, Harry tem tido atividades suficientes para ocupar sua agenda. Na teça-feira, 6, ele conquistou o povo da Jamaica durante seu discurso no jantar do Estado oferecido pelo Primeiro Ministro Portia Simpson Miller. Ele pediu desculpas à multidão por ser menos emocionante que a rainha, dizendo que o país estava "preso a ele", mas que não precisavam se preocupar porque "cada pequena coisa ia ficar bem".

E é claro que o comentário saiu como o planejado, e não só arrancou aplausos e brindes, mas rendeu ao príncipe um grande abraço de Miller, que o chamou que um "belo jovem" e uma "pessoa fantástica".

Tal mãe, tal filho.





Harry também está sendo guiado pela comunidade por Gary Barlow, que está reunindo material de artistas desconhecidos para um álbum ser gravado no final deste ano em homenagem ao Diamond Jubilee da Rainha Elizabeth.

Ainda na terça-feira, Garlow pediu em frente à mídia que Harry participasse da gravação.

"Eu não sei cantar", respondeu o príncipe, propondo que Gary pedisse outra contribuição musical da realeza.

"Tamborim? Apenas uma batida?"

Não seria maravilhoso?

E o Brasil já pode se preparar para dar as boas vindas ao príncipe, afinal ele desembarca no Rio de Janeiro amanhã, 9, e vai participar de um campeonato de pólo em São Paulo.