Pete Doherty é expulso da rehab após três semanas de internação

E! News | Faz 5 anos

 

Press Association via AP Images



Não é segredo que Pete Doherty tenha um histórico conhecido quando se trata de abuso de drogas.

E agora ele tem mais um fato para acrescentar ao seu currículo: Ser expulso da clínica de reabilitação após três semanas de internação. Mas o que Doherty aprontou desta vez???






Após entrar e sair da cadeia, ser pego em flagrante inúmeras vezes por posse de heroína e cocaína e ser internado na reabilitação várias vezes, desta vez ele decidiu se internar por conta própria em uma clínica na Tailândia, mas, negando nossas esperanças, sua internação não durou muito.

Em abril, Pete revelou ao NME que estava se internando na The Cabin, uma clínica em Chiang Mai que usa yoga e caminhadas com elefantes como tratamento e é um dos centros de tratamento mais respeitados da Ásia, de acordo com o site.

"Obviamente nós estamos desapontados por vê-lo sair", disse Alastair Mordey, diretor da clínica, em um comunicado enviado após a saída do músico, "É importante manter a integridade do programa de tratamento para que os outros clientes tenham uma boa chance de recuperação. Pete entende isso e os motivos que nos levaram a pedir para que ele saísse"

Essa não foi a primeira vez que Pete tentou se reabilitar na Tailândia. Em 2003, ele viajou para lá para se tratar, mas deixou a clínica três dias depois.

"Nós esperamos que algumas das coisas que ele aprendeu aqui o ajudem no futuro e estamos ansiosos pelo dia em que Pete decida se recuperar de novo", continuou Mordey.

Mas o que levou a clínica a expulsar Doherty?

"No final das contas - e isso é uma coisa muito comum na instituição - ele basicamente percebeu que não estava pronto para se recuperar", disse o diretor de marketing Ben Moller, explicando que a "decisão foi mútua".

Moller explicou que uma pessoa que não esteja tão motivada para se recuperar pode influenciar a recuperação dos outros pacientes, e que "Pete não estava fazendo nada intencionalmente destrutivo", e frisou que o músico não "voltou a usar" drogas, e era isso o que ele queria.