Os melhores e piores do SAG Awards 2012

E! News, SAG Awards, | Faz 47 anos

 

Kevin Winter/Getty Images




Uma premiação em que os próprios atores escolhem os melhores. Será que isso é bom?

Agora, Angelina Jolie, Brad Pitt, George Clooney e Tina Fey podem chamar ainda mais atenção, só porque eles são os novos membros do sindicato de atores do júri do SAG Awards 2012.

Então, quais foram os melhores e piores momentos da premiação que aconteceu na noite deste último domingo, 29? Confiram aqui:




Kevin Winter/Getty Images




Uma abertura fria: Por mais que discursos do tipo, "Como me tornei um ator", sejam um clássico do SAG, acreditamos que nenhum evento deve começar com Jon Cryer falando que escolheu atuar, pois não poderia ser astronauta.

Melhores revelações: Ambas foram de Christopher Plummer, a primeira por dizer que a arte de atuar é a segunda profissão mais antiga do mundo. A primeira? "Bem, vocês sabem".  Logo mais, ele disse,  "Há 42 anos a mulher mais incrível do mundo entrou na minha vida e me salvou", se referindo a Elaine Regina Taylor, sua atual mulher.

Momento mais profundo: Com base apenas no clipe de cinco segundos de Warrior, Nick Nolte merece um prêmio cientifico por descobrir a voz mais profunda da história. Parece que ele nunca ouviu sua própria voz...

Momento louco: O trio de Bridesmaid Kristen Wiig, Maya Rudolph e Melissa McCarthy apareceram com um jogo de bebidas alcoólicas que incluía Martin Scorsese. Hilário!

Momento desconfortável: Em frente de uma platéia cheia de mulheres comediantes, o querido Dick Van Dyke falou que sua colega Mary Tyler Moore é uma das poucas mulheres que podia ser engraçada e feminina. O que será que Wiig, McCarthy, Rudolph, Sofia Vergara, Octavia Spencer, Tina Fey acharam disso?

Atores invisíveis: Kate Winslet e Paul Giamatti ganharam prêmios, mas não apareceram.

A melhor improvisação vai para: Tina Fey que segurou o copo de bebida de Steve Buscemi e, enquanto ele recebia o prêmio, ela tomava tudo... Um brinde a Martin Scorsese!



John Shearer/WireImage




Melhor sexto sentido de humor: Alec Baldwin ganhou o prêmio pela sexta vez consecutiva por seu trabalho em 30 Rock. Jack Donaghy (seu personagem na série) ficaria orgulhoso, mas teria ganhado o sétimo.

Mais simpática: Betty White disse ao receber seu prêmio: "Eu acho que eles cometeram um erro terrível".

Melhor silêncio: O ator de The Artist parecia não ter palavras por seu prêmio em um filme... Mudo. Teve que pescar o discurso em um papel que guardava no bolso.

Mudança de rumo: Com os três grandes prêmios de Histórias Cruzadas (The Help), talvez vocês tenham que refazer suas apostas para o Oscar.