NOVA FONTE: Amy Winehouse teria comprado cocaína, heroína e crack na noite anterior a sua morte

E! News | Faz 5 anos

 
Focus Pictures, PacificCoastNews.com
Embora os testes toxicológicos ainda não estejam prontos, uma nova versão do incidente acaba de aparecer.. Tony Azzopardi, um amigo próximo da falecida Amy Winehouse, relevou que a cantora gastou mais de 1.200 libras comprando drogas na noite anterior de sua morte. O rapaz, que muito em breve será interrogado pela polícia inglesa, confessou que se encontrou com a cantora na noite do dia 22 de julho aproximadamente às 23h fora de um bar na zona de Camden Town onde Winehouse o pediu ajuda para conseguir narcóticos. Aparentemente ambos pegaram um taxi até a zona de West Hampstead, onde se encontraram com um homem conhecido pelos dois. Este rapaz teria vendido a cantora cocaína, heroína e crack. ”Essa foi a última vez que a vi. Ela aparentava bem, estava em boa forma, tinha um tempo sóbria, não acreditei quando eu fiquei sabendo que ela estava morta”, comentou Azzopardi sobre seus últimos momentos com a cantora. Estas novas declarações se contradizem com a mensagem da família de WInehouse, que insiste em dizer que a cantora estava em sua casa durante a última noite de sua vida, tocando bateria e cantando, e que a polícia não teria encontrado nenhum tipo de drogas no seu apartamento em Londres. Cada vez mais faltam menos dias para saírem os resultados dos exames tóxicos que irão determinar definitivamente a causa da morte de Amy.