Michelle Obama fez uma participação especial no “Extreme Makeover: Home Edition”

E! News | Faz 5 años

 
Será que a Casa Branca vai passar por uma reforma? Não exatamente. A primeira dama americana Michelle Obama foi a convidada do programa Extreme Makeover: Home Edition, e embora a residência do presidente tenha aparecido no programa, a estréia da nova temporada estava focada em expandir um centro de recursos comunitários para as veteranas desabrigadas de Ft. Bragg. Mas então o que levou a senhora Obama a aparecer no reality show?Jill Biden e eu queríamos manifestar o nosso apoio às famílias militares assim como eles nos apoiaram”, disse a primeira dama, “E nós gostaríamos de intensificar a ajuda do país de todas as formas, grandes ou pequenas. Todo mundo pode fazer alguma coisa”. “Acho importante para os Estados Unidos ouvirem essas histórias e se lembrarem das pessoas que são bons vizinhos e que erguem as mangas. Pessoas que fazem sacrifícios para aqueles que elas nem mesmo conhecem”, disse ela. Michelle também contou a Ty Pennington, o apresentador do programa, que fez questão de dar à casa o seu próprio estilo, já que viveria ali com sua família. SAIBA MAIS: Lady Gaga vai se reunir com o presidente Barack Obama para lutar pelos direitos dos gays “Nós consideramos aqui o lobby da Casa Branca. Quando subimos as escadas para o segundo andar, a casa tem muito mais o nosso estilo”, explicou ela, “Nós temos crianças pequenas, então temos móveis que elas podem pular em cima. E temos bastante arte moderna. Nós gostamos muito de tons sutis e quentes, então é confortável e amigável para as crianças”. Michelle ainda falou a Ty que fica muito impressionada com a rapidez do Extreme Makeover para construir as casas. “A velocidade que vocês deixam tudo pronto é incrível. Eu adoraria ver vocês construindo essa casa em uma semana”, disse ela sobre a Casa Branca. “Não só a primeira dama do país nos recebeu de braços abertos, mas ela realmente quer fazer parte do projeto”, comentou o apresentador sobre Michelle. “Ela tem uma iniciativa chamada Joining Forces, que é realmente feita para dar apoio, reconhecer e honrar as famílias militares”.