Mel Gibson é condenado a três anos de liberdade condicional

E! News | Faz 6 anos

 
O ator e cineasta australiano Mel Gibson foi condenado nesta sexta-feira, 11, pela Justiça do Condado da Califórnia, a três anos de liberdade condicional por ter agredido sua ex-esposa, a estilista russa Oksana Grigorieva. Gibson foi acusado de “lesão corporal leve” e também terá que assistir palestras sobre violência doméstica durante 52 semanas devendo concluir as aulas até 30 de março de 2012. Além disso, terá que prestar 16 horas de serviço comunitários, decidiu a juíza Stephanie Sautner da corte de Los Angeles. Ele prestará os serviços na entidade filantrópica Mending Kids International, que auxilia crianças carentes com deformações físicas. O curso que deverá ser atendido pelo diretor de A Paixão de Cristo será o mesmo que o rapper Chris Brown frequentou por ter agredido sua ex-namorada, a cantora Rihanna. Durante o julgamento, a defesa do ator não fez nenhuma ressalva à sentença. Grigorieva afirmou que Gibson lhe deu um soco durante uma séria discussão que tiveram em 6 de janeiro de 2010. O ator havia admitido anteriormente à Justiça que deu um tapa na ex, alegando estar preocupado com a segurança de sua filha Lucia, já que Grigorieva choacoalhava violentamente a menina. Gibson alegou também que Grigorieva tentou extorquir dinheiro dele, usando para isso gravações em que um homem lança insultos e ofensas raciais por telefone. Essas gravações, divulgadas no ano passado pelo site de celebridades Radaronline.com, foram atribuídas a Gibson e afetaram negativamente sua carreira. Os dois se separaram e chegaram a um acordo judicial supostamente de US$ 20 milhões. Grigorieva negou a acusação de extorsão, porém as autoridades decidiram por investigar as acusações contra ela juntamente as contra Gibson resultando no acordo judicial selado na sexta-feira. Segundo o site de celebridades TMZ.com, a promotoria não formalizará as acusações de extorsão contra Grigorieva. Em nota divulgada por seus advogados ao Radaronline.com, Grigorieva disse que o acordo com Gibson foi feito "com total justiça a todos os envolvidos". Ela não compareceu ao tribunal, mas um promotor disse que ela tinha conhecimento dos termos do acordo. Também no tribunal, o advogado de Gibson, Blair Berk, afirmou que seu cliente concordou com a sentença  " considerando o melhor para seus filhos."