Médico acusado pela morte de Michael Jackson tem seu julgamento adiado

E! News | Faz 5 años

 
Frederick M. Brown/Getty Images
O tão esperado dia do julgamento do médico de Michael Jackson, que havia sido originalmente programado para acontecer na próxima segunda-feira, 9, foi adiado para setembro. O anúncio foi feito nesta segunda-feira, 2, por Michael Pastor, juiz encarregado do caso devido a um pedido de adiamento dos advogados de Conrad Murray feito nesta última sexta-feira, 29. A defesa justifica o motivo pelo fato de quererem acrescentar novas testemunhas ao caso. Caso seja condenado, Conrad Murray pode pegar até quatro anos de prisão e perder definitivamente sua licença médica. Pastor ordenou que o médico pessoal de Jackson fosse julgado em janeiro sob uma taxa de homicídio involuntário após Murray ter sido acusado de injetar no artista uma dose letal de sedativos em 25 de junho de 2009, resultando em sua morte. Murray, que também teve sua licença médica suspensa, se declara inocente. Sua defesa sustenta a tese de suicídio, alegando que que o cantor estava desesperado por suas várias dívidas e que injetou em si próprio uma dose extra sem o conhecimento de seu médico.