Manifestantes ucranianas ficam nuas em Londres como forma de protesto durante os Jogos Olímpicos

E! News | Faz 5 anos

 

KIRILL KUDRYAVTSEV/AFP/GettyImages



Embora o centro da capital britânica seja um lugar sem graça ultimamente pelo êxodo massivo que cerca as proximidades do Parque Olímpico, a cidade permanece até hoje, sendo o melhor lugar para fazer com que qualquer mensagem política tenha um alcance global.

Ciente desse potencial comunicativo, três ativistas do ‘'Femen'', uma associação ucraniana em defesa dos direitos das mulheres, realizaram em frente à Prefeitura de Londres um original e teatral protesto olímpico que incluiu exibição de nudez frontal.






"Vergonha olímpica" e ‘'Não à Shari''  foram os slogans que carregavam duas das manifestantes femininas, que corriam desesperadas com os seios de fora e manchas de sangue falso enquanto eram perseguidas por um terceiro membro do grupo, um homem disfarçado como imã islâmico. Sua peculiar atuação tinha como objetivo aumentar a conscientização sobre o tratamento degradante sofrido por milhões de mulheres em alguns países muçulmanos, além de criticar o Comitê Olímpico Internacional (COI) por permitir que estes estados, opressivas em sua opinião, participem dos Jogos.

"Estes países são os regimes fascistas de nosso tempo, eles tratam as mulheres como cidadãs de terceira classe. Nós criticamos essa atitude hipócrita, não é mera vontade de chamar atenção'', disse Reza Morardi, porta-voz da organização, depois que as manifestantes foram detidas pela polícia metropolitana de Londres.
Esta não é a primeira ocasião em que o ‘Femen' comanda uma campanha com essas características, já que no último Campeonato Europeu na Polônia e Ucrânia outras integrantes da associação usaram seus corpos desnudos nos arredores do estádio nacional de Varsóvia.

Neste caso, a encenação foi a intenção de enviar uma mensagem contra a prostituição, uma atividade aparentemente em alta demanda durante as duas semanas do torneio de futebol.