Mais uma vez vítima de racismo: Rihanna é chamada de "prostituta negra" por revista holandesa

E! News | Faz 2019 anos

 

Samir Hussein/WireImage



Rihanna tem apenas duas palavras para a revista holandesa Jackie, que em um artigo que se referia a bela de forma preconceituosa. O texto, intitulado Ultimate Niggabitch, chamou a cantora de a "maior prostituta negra".

Que coisa feia!

"Com todo o respeito e, em nome da minha raça, aqui estão minhas duas palavras para você", Rihanna escreveu no Twitter nesta última segunda-feira, 19, à editora da revista de moda, Eva Hoeke.






 "F---K YOU!", concluiu a cantora. Nem precisamos traduzir isso, não é?

Antes de radicalizar no Twitter, Rihanna enviou uma longa mensagem à editora, "@EvaJackie, espero que você possa ler inglês porque sua revista é uma pobre representação da evolução dos direitos humanos. Acho você muito desrespeitosa e muito desesperada. Você ficou sem informações civilizadas e legítima para publicar! Há mais de mil holandesas que adorariam ser reconhecidas pelas suas contribuições ao país, você poderia ter dado a elas um artigo".

"Em vez, você pagou para publicar uma matéria degradante em relação a uma raça inteira! Essa é a sua contribuição ao mundo! De encorajar a separação, de corromper os futuros líderes? Você colocou duas palavras juntas, com a intenção de rebaixamento... 'N---A BITCH'?!".

A matéria publicada pela revista Jackie dava "dicas" de moda inspiradas nas roupas de Rihanna, que acabou referindo a estrela como "uma prostituta negra que se exibe no palco cheia de gosto".

"Ela tem jeito de gente de rua, tem uma bunda de gueto e uma garganta dourada. Rihanna, a garota boa que virou malvada, e para ela significa: o que está vestindo, pode muito bem cair. Se isso significa ficar seminua no palco, então para ela está tudo bem".

Lógico que Rihanna não gostou nada disso.

A publicação pediu desculpas e hoje, 21, o site da revista anunciou a resignação de Hoecke.





Rihanna é vítima de racismo, mais uma vez