Madonna está sem sorte: É criticada pelo governo do Malawi e não está mais livre de seu stalker

E! News | Faz 5 anos

 

Ilya S. Savenok/FilmMagic



Pobre Madonna, teve uma terça-feira terrível...

A cantora não só foi criticada pelo governo do Malawi por seu plano filantrópico de construir 10 escolas no país africano, como também recebeu a notícia que seu suposto stalker teve as queixas retiradas – o que quer dizer que ela não tem mais a ordem de proteção que o obrigava a ficar no mínimo 10 quadras longe do apartamento da cantora em Nova York.

Mas nem tudo é tristeza na vida da Material Girl...






LEIA TAMBÉM: Superstar, o novo single de Madonna com participação de Louder Leon, vaza na internet





Apesar de um artigo da Reuters ter citado o porta-voz do Primeiro Ministro da Educação de Malawi, dizendo que o governo estava “irritado” com a cantora, Trevor Neilson, o chefe do Global Philantrhopy Group disse que isso, simplesmente, “não é verdade”.

E enquanto o porta-voz afirmou que Madonna “anunciou novamente que planeja construir 10 escolas” sem ter a autorização deles, Neilson contou uma história diferente.

De acordo com ele, o governo tem sido “totalmente atualizado” sobre os planos na Rainha da Pop, e que a organização parceira da cantora, a buildOn, “está em comunicação com os oficiais locais e já esclareceu todos os planos para a construção das escolas”.

E quanto ao fato do stalker de Madonna ter acesso livre às redondezas dão apartamento da cantora, bom, não há nenhum comentário sobre isso. De acordo com o New York Post, um juiz de Manhattan rejeitou todas as acusações contra Robert Linhart, um bombeiro aposentado de Nova York, citando falha dos promotores em apresentar provas dentro do prazo determinado.