Famosos de Hollywood invadem o festival “Coachella Music & Arts”

E! News | Faz 6 anos

 
Com mais de 180 bandas em três dias de shows, a 12ª edição do evento que consagra artistas estreantes, celebrou com artistas que já haviam se apresentado antes e apresentou bandas desconhecidas para o público de 75 mil pessoas que assistiu o espetáculo da grama seca. Sob um calor de 38°C, o festival realizado em Indio, Califórnia, recebeu 180 bandas em três dias de shows: 15, 16 e 17 de abril. Descaracterizada e recatada, LiLo se escondeu por trás de um chapéu após a primeira noite do festival. Este ano, o enorme palco principal do Coachella Music and Arts Festival recebeu multidões que queriam prestigiar a primeira performance do grupo The Strokes em um grande festival, depois do lançamento de seu polêmico quarto álbum, o som caipira dos novatos Mumford & Sons e o egocentrismo, quer dizer, o talento do rapper Kanye West. O destaque deste último sábado, no entanto, ficou com a performance memorável do Arcade Fire, que recentemente conquistou o prêmio Grammy de melhor álbum. A banda arrastou a maior quantidade de espectadores do festival para o Coachella Stage, decorado com letreiro de cinema e um telão que exibia filmetes relacionados ao último disco da banda, The Suburbs.
Christopher Polk/Getty Images
“Se vocês tivessem falado, em 2002, que um dia nós seríamos uma das atrações principais do Coachella, eu teria dito que vocês estavam brincando”, confessou o líder da banda, Win Butler, logo no início da apresentação. Sem medo de arriscar, o grupo mostrou versões explosivas de Rebellion (Lies), Power Out e Tunnels, do disco de estreia da banda, além de Ready to Start e We Used to Wait, do álbum mais recente. Depois da chuva de balões gigantes, já no bis, a banda encerrou o show de 1h30 com Sprawl II, cantado por Régine Chassagne. Este ano, o enorme palco principal do Coachella Music and Arts Festival recebeu multidões que queriam prestigiar a primeira performance do grupo The Strokes em um grande festival, depois do lançamento de seu polêmico quarto álbum, o som caipira dos novatos Mumford & Sons e o egocentrismo, quer dizer, o talento do rapper Kanye West. O destaque deste último sábado, no entanto, ficou com a performance memorável do Arcade Fire, que recentemente conquistou o prêmio Grammy de melhor álbum. A banda arrastou a maior quantidade de espectadores do festival para o Coachella Stage, decorado com letreiro de cinema e um telão que exibia filmetes relacionados ao último disco da banda, The Suburbs. “Se vocês tivessem falado, em 2002, que um dia nós seríamos uma das atrações principais do Coachella, eu teria dito que vocês estavam brincando”, confessou o líder da banda, Win Butler, logo no início da apresentação. Sem medo de arriscar, o grupo mostrou versões explosivas de Rebellion (Lies), Power Out e Tunnels, do disco de estreia da banda, além de Ready to Start e We Used to Wait, do álbum mais recente. Depois da chuva de balões gigantes, já no bis, a banda encerrou o show de 1h30 com Sprawl II, cantado por Régine Chassagne. Quer ver quem mais passou por lá? Confira!