Lady Gaga vai se reunir com o presidente Barack Obama para lutar pelos direitos dos gays

E! News | Faz 5 anos

 
Bang News
Lady Gaga foi uma das estrelas a ficar indignada com o caso do menino Jamey Rodemeyer, um adolescente nova yorkino de 14 anos que se suicidou por não aguentar mais o preconceito que sofria por causa de sua homossexualidade. A cantora é assumidamente uma defensora dos direitos dos gays, e quer pedir ao presidente americano, Barack Obama, que crie uma legislação contra esse tipo de assédio em qualquer idade. “Estes dias eu estive pensando, chorando e gritando. Estou muito irritada. É difícil sentir amor quando a crueldade tira uma vida. Jamey Rodemeyer, de 14 anos, se suicidou pelo abuso que era submetido. E esse assédio deveria ser ilegal. É um crime de ódio”, disse Lady Gaga, “Vou me reunir com o nosso presidente. Não deixarei de lutar. Isso tem que acabar. E nossa geração tem o poder de por um fim nisso”. SAIBA MAIS: Mais uma celebridade morre na internet Jamey havia escrito regularmente sobre a perseguição que sofria no colégio, mas as pessoas também o perseguiam na internet, e deixaram incluisve várias mensagens em seu FormSpring, o que o incentivou ainda mais a cometer suicídio. Na noite do sábado passado ele deixou uma mensagem em seu Facebook que dizia, “Não se esqueça de mim quando eu vier chorando à porta do céu”, trecho da música The Queen de Lady Gaga, seguida por uma homenagem à cantora e uma frase dizendo que estava ansioso para se encontrar com sua avó falecida. Algumas horas depois ele foi encontrado morto.