Lady Gaga fala exclusivamente com o E! sobre “Marry the Night”!

E! News | Faz 48 anos

 

E! Networks









Lady Gaga não é nada além de uma contadora de histórias. E essa música em particular pode ser a sua melhor história, ou se não, é pelo menos a mais pessoal.

O E! News não só fez a estreia exclusiva do clipe de Marry The Night, como também conversou com a Mother Monster sobre seu clipe autobiográfico de 13 minutos.

"Foi um dos piores dias da minha vida e aconteceu de forma muito rápida, mas na minha cabeça, quando eu penso nesse período de novo, tudo aconteceu de forma muito lenta".

E agora, little monsters, a cantora vai dividir conosco o que aconteceu naquele dia...

 

 









Gaga explicou que o vídeo é uma interpretação do dia em que ela viu seus sonhos escapando – quando ela foi retirada de seu primeiro selo, Island Def Jam.

"É o meu jeito pessoal de ver as coisas", disse ela, "Se você desistir depois de algo assim, você nunca foi destinado a ser um artista".

O que ela quer dizer por Marry the Night, que os fãs leais sabem que se trata de uma canção de amor para Nova York. Mas é muito mais do que isso, é sobre casar, por assim dizer, com seus próprios obstáculos.

"Para ser uma grande compositora", ou qualquer coisa que alguém queira ser, ela disse, "Você tem que saber o que está errado com seu trabalho, ou o que é desonesto sobre ele. Em que eu não me sai bem?".

Vamos assumir que foi uma pergunta retórica, já que não conseguimos achar nada de errado. E então, o que Lady Gaga acha que é seu maior obstáculo?

"Eu não sei, eu não tenho uma resposta para essa pergunta. Eu amo obstáculos. Casar-se com seu obstáculo quer dizer que eu, o artista, tenho que aceitar tudo que vocês jogam em mim, sou destinada a lutar, estou destinada a escrever sobre as lutas, e eu aceito de bom grado".

E não só por mostrar a pele, mas as cenas dramáticas de nudez, para Gaga, foram as mais reais.

"Bom, eu estava nua na vida real quando aconteceu", disse ela sobre o momento em que descobriu que tinha sido retirada, "É provavelmente o momento mais honesto do vídeo de tudo o que eu já fiz. Minha decisão de diretora foi que eles apenas rodassem as câmeras, porque eu não podia fazer isso naquele momento".

"Eu me pergunto se pudesse lançar essa cena inteira, tem cerca de 30 minutos".

E quanto à estética do vídeo, Gaga disse, "Foi intensamente importante para mim que não fosse nada além de bonito. Foi uma experiência incrível. Foi maravilhoso. Absolutamente maravilhoso".

E quanto aos seus esforços como diretora?

Apesar de sua separação amigável, de seu colaborador de longa Dara Laurieann Gibson, era apenas um negócio criativo na gravação, como de costume.

"Eu sempre fui a diretora criativa, e House of Gaga sempre foi a força por trás do que fizemos. Não houve mudanças muito grandes. Sei que é a minha estreia como diretora, mas eu já criei tudo o que fiz na minha carreira. Eu realmente não fiz nada de diferente nesse clipe que não tenha feito em Telephone, Paparazzi ou Bad Romance".

"Espero que meus fãs entendam dessa progressão que você tem que confiar em si mesmo para cometer erros".

 "Eu sempre acreditei que se você anda pela linha do humor é porque está sendo incrivelmente sério", disse ela, "Há algo cômico na abertura do vídeo, mesmo que seja sinistro e sombrio".

"É feito para ser cômico", explicou ela sobre os minutos iniciais, "Na essência é a minha visão sobre todo o processo criativo e a forma como eu vejo as coisas".

Intrigado? Você deveria estar.





Confira o clipe!