Lady Gaga admite que gosta de ser chamada de Stephani na cama

E! News | Faz 6 anos

 
Vogue
Ela é a estrela mais polêmica e exibicionista do momento. Mas Lady Gaga revelou que, fora do palco quando tira o figurino, ela gosta de se chamar Stefani... Principalmente quando está na cama. Em entrevista para um documentário, perguntaram à estrela como ela gosta de ser chamada, “Me chame de Gaga. Algumas pessoas me chamam de Stefani. Especialmente na cama”. A cantora estampa a capa da edição de março da Vogue e aparece usando um vestido branco com uma peruca rosa. No editorial da revista, Gaga usa tanto uma jaqueta de couro quanto um vestido armado de penas. “Falando sinceramente sobre o ponto de vista musical, eu acho que sou uma ótima artista”, conta Lady à Vogue. “Eu sou uma talentosa cantora. Eu me considero uma das melhores vozes na indústria musical. E também sou uma das melhores compositoras”.
Vogue
Gaga também fala da relação com os fãs, chamando-os de “pequenos monstros”. “Às vezes quando estou no palco é como se eu estivesse fazendo sexo com os meus fãs”, conta ela. “Eles são as únicas pessoas no planeta que me fazem instantaneamente perder o juízo”. O nome verdadeiro de Gaga é Stefani Germanotta e ela é tão dedicada aos fãs, que certa vez em Londres ela se apresentou mesmo sofrendo de uma severa infecção no estômago.
Vogue
“Eu não sei se você soube disse”, confessou ela. “Mas, na outra noite, em Londres, eu comi alguma coisa e passei muito mal. Estava vomitando no camarim durante a troca de roupas do show”. “Ninguém soube... eu simplesmente usei o meu poder da mente para controlar o meu corpo. Eu fiquei falando para mim mesmo, ‘Você não pode vomitar no palco’”, lembra ela. Ela pode estar na capa da Vogue, mas Gaga admite que ela sempre lembra dos dias difíceis do colégio, “Porque, por mais engraçado que seja – e acredite em mim, ninguém está achando isso tudo mais engraçado que eu- eu era a garota que passava pelo corredor da escola e os garotos me chamavam de vagabunda, horrorosa, nariz grande, nerd e muitas vezes lésbica”, lembra ela.