John Galliano foi condenado, mas não será preso

E! News | Faz 5 anos

 
Bang News
O estilista britânico, que enfrentava as acusações de “insultos públicos baseados em origem, religião, raça e etnia”, foi condenado hoje a pagar uma multa de 17,5 mil euros por comportamento racista e anti-semita, mas, entretanto, não será preso. A pena máxima na França por insultar alguém devido sua origem é de seis meses de prisão e uma multa de 22,5 mil euros. John Galliano, que não estava presente quando o veredito foi anunciado, foi preso em fevereiro desse ano após uma discussão com um casal em um café de Paris em eu se referiu aos dois com uma linguagem racista e anti-semita. Depois de alguns dias foi publicado um vídeo de Galliano em outro incidente no mesmo café insultando uma mulher e alegando que amava Hitler. Com a sequência de incidentes, o estilista foi afastado da Dior, onde era o diretor criativo desde 1996 e também da própria maison que leva seu nome. SAIBA MAIS: Pitbull também pode ser alta costura Durante uma das visitas judiciais em junho, Galliano justificou seu comportamento alegando abuso de álcool e medicamentos. E o estilista se desculpou por toda tristeza que seu comportamento gerou, e desde então tem buscado tratamento para seus problemas com o álcool.