John Galliano culpa dependência de remédios por insultos antissemitas

E! News | Faz 5 años

 
Bang!
John Galliano costumava ser julgado pelo mundo fashion por suas impressionantes coleções. Hoje, ele encara um diferente tipo de julgamento, um que pode colocar o ex-Christian Dior na cadeia, por supostamente atirar insultos antissemitas a um casal em um café de Paris, em fevereiro. O designer de 50 anos, que foi demitido do cargo de diretor da marca após o incidente, enfrenta uma mídia em delírio enquanto entre na corte para seu julgamento. Seu advogado planeja defendê-lo alegando que o estilista abusa do álcool e do consumo de remédios. Galliano terá que enfrentar seis meses na prisão e mais de U$33 mil em multa se ele for considerado culpado por “jogar insultos baseados em origem, religião, raça ou etnia.” Ontem, 21, seu advogado Aurelien Hamelle disse que seu cliente agiu de maneira errada por ter sérios problemas de vício e que a acusação pode usar isso contra ele. “Ele tem triplo vício em álcool, Valium e remédios para dormir...A combinação dessas três drogas o deixa em um estado de total abandono,” comentou Hamelle. Galliano entrou em uma clínica de reabilitação depois de pedir desculpas pelo insulto. Mas mesmo assim ele foi cortado da Dior, que divulgou um comunicado dizendo que a marca tem “zero tolerância perante qualquer insulto ou comportamento antissemitas ou racista.” O estilista, que trabalhou na companhia durante 14 anos, espera seu veredicto que não será dado antes de setembro.