Hilary Swank e Jean-Claude Van Damme estão com problemas por terem participado do aniversário do presidente da Chechênia

E! News | Faz 5 anos

 

[youtube width="570" height="344"]http://www.youtube.com/watch?v=ea-9hqjCpM4[/youtube]

Se isso fosse um filme, Jean-Claude Van Damme e Hilary Swank estariam se juntando para lutar contra um vilão, e não para desejá-lo feliz aniversário. Mas, não se trata de um filme, e sim da vida real. Ativistas dos direitos humanos estão tendo problemas com as duas estrelas por elas terem participado da festa de 35 anos do presidente da Chechênia, Ramzan Kadyrov, que é acusado pela organização de ser um dos maiores violadores dos diretos humanos. SAIBA MAIS: Mikey Welch, o ex-baixista do Weezer, sonhou que ia morrer duas semanas antes de sua morte “Ao participar desse tipo de evento, eles legitimam e reforçam a imagem de alguém que está ligado a abusos dos direitos humanos”, disse Jane Buchanan, a pesquisadora sênior do Human Rights Watch ao E! News.
STR/AFP/Getty Images
Depois de ter sido nomeado primeiro ministro da Rússia há quatro anos, Kadyrov tem supervisionado uma agência que orquestrou uma série de raptos, torturas e assassinatos de chechenos da república rebelde. Mas isso não impediu que Van Damme e Swank participassem do festival na capital chechena de Grozny, que também aconteceu como uma festa de aniversário para o ditador. O evento incluiu muitos fogos de artifício, acrobacias e uma apresentação da violinista Vanessa Mae. “A nossa preocupação é que se essas estrelas receberam dinheiro para participar do evento, então elas deveriam devolvê-lo. É realmente inapropriado”, disse Buchanan. De acordo com a BBC, Enquanto Vanessa Mae ganhou US$500 mil para se apresentar, ainda não se sabe se os dois atores receberam alguma quantia. A ABC News contou que outras estrelas como Shakira, Eva Mendez e Kevin Costner também foram convidados para participar, mas recusaram o convite.