Gilberto Gil, Adriana Calcanhoto, Alejandro Sanz e Nelly Furtado conquistam Grammy Latino

E! News, Grammy Awards, | Faz 7 anos

 
Gustavo Caballero/Getty Images; Dimitrios Kambouris/WireImage; Fotonoticias/WireImage
Juan Luis Guerra e o grupo de Camila foram os grandes protagonistas da edição de 2010 do Grammy Latino realizada em Las Vegas, granhando três prêmios na noite. Juan Luis Guerra é o ganhador do Álbum do Ano, com  A Son de guerra, junto com sua banda 4.40. “É um álbum de características románticas e sociais. É o tempo de falar das coisas como elas são e ir atrás da justiça, honestidade, integridade para as pessoas na América Latina. Isso é para uma América Latina melhor", disse o artista dominicano ao receber o prêmio.  Os outros prêmios que ele recebeu foram Melhor Álbum Tropical Contemporâneo com A Son de guerra e Melhor Música Tropical, com Bachata en Fukuoka. Os brasileiros também foram homenageados durante o evento. Entre os premiados, está Gilberto Gil, conquistando dois troféus. Adriana Calcanhotto, com a sua música Tua, foi reconhecida como a "Melhor canção brasileira". Marina de Oliveira , brasileira e cantora gospel, ganhou o prêmio de "Melhor álbum de música cristã em língua portuguesa", com o CD Na extremidade. Muitos outros brasileiros brilharam na noite, incluindo a banda Charlie Brown Jr., levando o "Melhor álbum de rock brasileiro", e a dupla Zezé di Camargo e Luciano foi premiado com "Melhor álbum de música sertaneja" com Double face. Já o carioca Diogo Nogueira levou para casa o "Melhor álbum de samba/pagode" com Tô fazendo minha parte. A cantora Claudia Leitte e Maria Gadú, subiram no palco para se apresentar e marcar presença. Outras estrelas levaram troféus para casa, dentro deles, Alejandro Sanz, ganhando o prêmio de Melhor Álbum Vocal Pop Masculino, com Paraíso Express; Nelly Furtado, ganhando este mesmo prêmio na versão feminana, com Mi plan; o Melhor Álbum de Música Urbana, com Mi niña bonita, foi para a dupla Chino e Nacho, e o Melhor Novo Artista foi para Alex Cuba. No evento, outras estrelas se descatacam, como a cantor e atriz Jennifer López, Ricky Martin, Marc Anthony, Gilberto Santa Rosa, Jorge Drexler, Gaby Spanic, La Mala Rodríguez, Rosario, Enrique Iglesias, a Miss Universo Ximena Navarrete, Christian De La Fuente e Angélica Vale. A lista completa dos vencedores do 11º Grammy Latino: Álbum do ano: "A Son de Guerra", do dominicano Juan Luis Guerra. Canção do ano: "Mientes", Mario Domm e Mónica Vélez (do grupo mexicano Camila). Gravação do ano: "Mientes" (Camila). Mario Domm, Gabriel Castañon e Benny Faccone. Melhor álbum de música rancheira: "Necesito de ti", Vicente Fernández. Melhor canção regional mexicana: "Amarte a la antigua", Yoel Henriquez e Paco Lugo para Pedro Fernández Melhor álbum tropical contemporâneo: "A Son de Guerra", Juan Luis Guerra. Melhor canção tropical: "Bachata em fukuoka", Juan Luis Guerra. Melhor novo artista: o cubano Alex Cuba. Melhor álbum vocal pop feminino: "Mi plan", da canadense Nelly Furtado. Melhor álbum vocal pop masculino: "Paraíso Express", do espanhol Alejandro Sanz. Melhor álbum vocal pop dupla ou grupo: "Dejarte de Amar", Camila. Melhor álbum urbano: "Mi niña bonita", da dupla venezuelana Chino e Nacho. Melhor álbum cristão (em espanhol): "Tienes que creer", Mónica. Melhor álbum cristão (em português): "Na extremidade", Marina de Oliveira. Melhor álbum instrumental: "A time for Love", Arturo Sandoval. Melhor álbum folclórico: "Tesoros de la música venezolana", Ilan Chester. Melhor álbum de tango: "De corazón a corazón mariachi tango", Aida Cuevas. Melhor álbum de flamengo: "Sonanta suite", Tomatito. Melhor álbum de jazz latino: "Sambolero", grupo brasileiro João Donato Trio. Melhor álbum pop contemporâneo brasileiro: "Bom Tempo", Sérgio Mendes. Melhor álbum de rock brasileiro: "Camisa 10 joga bola até na chuva", Charlie Brown Jr. Melhor álbum de samba/pagode: "Tô fazendo minha parte", Diogo Nogueira. Melhor álbum música popular brasileira: "Banda dois", Gilberto Gil. Melhor álbum de música sertaneja: "Double face", Zezé di Camargo e Luciano. Melhor álbum de música de raízes brasileiras-regional: "Fé na festa", Gilberto Gil. Melhor canção brasileira (em português): "Tua", Adriana Calcanhotto. Melhor álbum de música latina para crianças: "Luis Pescetti", Luis Pescetti. Melhor álbum de música clássica: empate entre "Integral cuarteto de cuerda" (Leo Brouwer e Amado del Rosario) e "Vital" (Fernando Otero). Melhor obra/composição clássica contemporânea: "Pampas", Lalo Schifrin. Melhor engenharia de gravação para um álbum: "Distinto" (Diego Torres). Paul Acedo, Rafa Arcaute, Sebastian Krys, Lee Levin, Daniel Ovie, Sebastian Perkal, Tom Russo, Esteban Varela, Dan Warner e Lurssen Inc. Melhor canção urbana: "No pidas perdón", Mala Rodríguez. Melhor álbum de rock vocal dupla ou grupo: "Fuerza Natural", Gustavo Cerati. Melhor canção de rock: "Deja Vu", Gustavo Cerati. Melhor álbum de música alternativa: "Hombre invisible", Ely Guerra. Melhor canção alternativa: "De donde vengo yo". Gloria "Goyo" Martínez, Miguel "Slow" Martínez e Carlos "Tostao" Valencia (ChocQuibtown). Melhor álbum de salsa: "Irrepetible", Gilberto Santa Rosa. Melhor álbum de cumbia/vallenato: "Listo pa' la foto", Diomedes Díaz e Álvaro López. Melhor álbum tropical tradicional: "El último trago", Buika. Melhor álbum cantor: "Cantares del subdesarrollo", Rubén Blades. Melhor álbum de música banda: empate entre "Me gusta todo de ti" (Banda El Recodo de Cruz Lizárraga) e "Soy tu maestro" (La Original Banda El Limón de Salvador Lizárraga). Melhor álbum de música texana: "Fantasia", Elida Reyna e Avante. Melhor álbum de música nortista: "Desde la cantina Vol 1", Grupo Pesado. Produtor do ano: empate entre Jorge Calandrelli-Greg Field ("A time for love" de Arturo Sandoval) e Sergio George (India e Prince Royce). Melhor vídeo musical versão curta: "Bien o mal" (Julieta Venegas). Agustin Alberdi, diretor, e Nicolas Cabuche, produtor. Melhor vídeo musical versão longa: "Una noche común y sin corriente" (Voz veis). Néstor Moure, diretor, e Andrés Guanipa, produtor.