Fundadora do Pussycat Dolls rebate acusações de prostituição de ex-integrante

Faz 1 mes

Rodrigo Vaz/FilmMagic, Tara Ziemba/Getty Images


Entenda o caso!

O Pussycat Dolls voltou a ser notícia após confirmar o retorno do grupo com um site misterioso. Entretanto, neste fim de semana, a banda segue sob os holofotes devido às acusações de Kaya Jones, ex-integrante, que alegou fazer parte de uma rede de prostituição na época do Pussycat Dolls. OMG!

NICOLE SCHERZINGER SE REÚNE COM EX-INTEGRANTE DO PUSSYCAT DOLLS

Na sexta-feira, 13, Kaya disse em seu Twitter que dormia com homens poderosos para estar no grupo. “Minha verdade. Eu não estava em um grupo feminino. Eu estava em uma rede de prostituição. Nós cantávamos e éramos famosas. Enquanto todos nos usávamos para fazer dinheiro“.

NORMANI KORDEI DANÇA HIT DE PUSSYCAT DOLLS NO DANCING WITH THE STARS

Quão ruim era? As pessoas perguntam – ruim o suficiente para me afastar dos meus sonhos, minhas colegas de banda e um contrato de 13 milhões de reais. Nós sabíamos que chegaríamos em primeiro lugar“, disse Kaya, que ainda citou uma “mãe do inferno” do grupo, que, supostamente, refere-se à Robin Antin.

PUSSYCAT DOLLS CONFIRMAM RETORNO COM SITE MISTERIOSO

Robin, que fundou o grupo em 1995, disse ao The Blast que ficou chocada quando soube das acusações de Kaya, mas que não passam de “mentiras assustadoras e ridículas” e que a loira está “claramente procurando seus 15 minutos de fama“, já que nunca fez parte do grupo oficialmente. Por enquanto, Nicole Scherzinger e as outras integrantes não se manifestaram sobre o assunto.

[scrollGallery id=6328 start=5 autoScroll=false thumbsdown=true]


Publicidad
Publicidad