Fotos do Príncipe Harry nu não serão publicadas no Reino Unido

E! News | Faz 5 anos

 

Bauer-Griffin



A pedido da família real, publicações britânicas desistem de estampar as fotos






Se depender da família real, o Príncipe Harry não precisa mais se preocupar em ver suas partes íntimas estampadas em várias capas de publicações, pelo menos no Reino Unido.

Isso porque a realeza pediu para que os editores de meios de comunicação britânicos não estampassem as fotos do irmão de William em suas páginas, devido à violação de privacidade que aconteceu justamente quando as fotos foram tiradas dentro da suíte do príncipe em Las Vegas.





VEJA MAIS: As fotos de Príncipe Harry nu não ficaram em Vegas





Legalmente, eles não podem impedir que isso aconteça, mas até os maiores tabloides britânicos deixaram de publicar as fotos.

"A família real pode pedir para negar os diretos das fotos serem publicadas, mas os próprios meios de comunicação britânicos se policiam e têm medo de imprimi-las", disse o correspondente do The Guardian, Rory Carroll, ao E! News, "Nesse clima, com o Leveson Inquiry [sobre a ética de imprensa], há muito foco na mídia, especialmente nos excessos dos tabloides, como o escândalo de hackeamento – fez todo mundo ficar mais cético".

Segundo relatos, a família, que já confirmou que as fotos são mesmo de Harry aproveitando "férias particulares" em Vegas, pediu que as fotos não fossem publicadas à Comissão de Reclamações de Imprensa, citando a cláusula que alega que "é inaceitável fotografar pessoas em seus locais privados sem o consentimento delas".

"Acho que estamos vendo mais restrições para a imprensa do que veríamos a alguns anos", disse Carroll, "5 ou 10 anos atrás, haveria uma grande corrida dos jornais para dar as fotos primeiro. E o fato de eles terem hesitado reflete o clima de questionamento e um pouco da incerteza do que eles não podem se livrar, o que o público consideraria ou não aceitável".

No ano passado, um escândalo de hackeamento fez o jornal centenário News of The World fechar, e vários de seus editores foram presos após descobrir-se que várias linhas de telefones, incluindo as de Angelina Jolie e Brad Pitt, foram grampeadas ilegalmente.

Isso quer dizer que os britânicos não poderão ver as fotos do príncipe em seus próprios jornais e sites, mas Carroll confirmou que o pedido da realeza "tem zero impacto em termos de manter uma coberta sobre a notícia".

"Não há como parar uma notícia assim", continuou o correspondente, "Eu não sei o que eles ganham mantendo essas histórias fora da imprensa britânica. Para os britânicos em Londres ou Edimburgo, o TMZ está há apenas um clique".