Filho de Michael Douglas é condenado a mais quatro anos e meio de prisão

E! News | Faz 2019 anos

 

Frazer Harrison/Getty Images for AFI



Michael Douglas não vai passar o Natal com o seu filho... E vai ficar muito tempo sem vê-lo (a menos que eles estejam separados por uma grade).

Afirmando que ele já havia sido protegido demais pelo sistema de justiça, um juiz federal de Nova York aumentou a pena de Cameron Douglas na quarta-feira, 21, adicionando mais quatro anos e meio de prisão federal em sua sentença.

E qual foi o crime desta vez?






O jovem Douglas, que tem problemas com vício de drogas, quebrou as regras do presídio em que está ao tentar conseguir uma receita contrabandeada de remédios.

De acordo com os procuradores federais, a nova sentença tem mais que o dobro do que os 18 a 24 meses pedidos pelos oficiais da promotoria anteriormente. Mas que em sua opinião, era justificável.

"Eu não acredito que nunca tive um caso assim antes... De um réu que tão imprudentemente, arbitrariamente, criminalmente e em flagrante tenha agido de forma tão destrutiva e manipuladora para criar uma moda", disse o juiz Richard Berman durante a audiência, apontando que Cameron mentiu várias vezes sobre a origem dos medicamentos.

E o juiz não aliviou a pena mesmo com os pedidos de clemência de Cameron, que afirmou que a culpa de seu mau comportamento era sua dependência, e pediu que fosse levado para um lugar em que pudesse se tratar.

 O tempo a mais atrás das grades será cumprido à risca, e com isso ele vai completar cinco anos de prisão.

Cameron foi preso em janeiro de 2010 por porte de heroína e conspiração para distribuir drogas em um hotel de luxo em Manhattan.

O ex-ator, e único filho de Michael com sua ex-mulher, Diandra Douglas, se envolveu nesta última confusão depois de ter convencido seu advogado a contrabandear os medicamentos para dentro do presídio. Os guardas também encontraram uma pílula contendo heroína durante uma busca em sua cela.

E a transgressão foi considerada extremamente ofensiva uma vez que ocorreu dentro de um presídio federal.