FBI investiga irregularidades em projeto educativo de Madonna

E! News | Faz 5 años

 
Frame Pictures
FBI (Federal Bureau of Investigation, equivalente à polícia federal brasileira) inicia uma investigação sobre as atividades da organização de caridade Success for Kids (SFK), focada em projetos educativos, cuja presidência é assumida pela cantora Madonna. De acordo com o jornal The Daily, a organização, sem fins lucrativos e dedicado à melhoria da educação das crianças carentes em diversos países ao redor do mundo, despertou a atenção e suspeita do FBI. Segundo publicação do site News Corporation nesta segunda-feira, as autoridades americanas investigam suas contas após detectar “certas irregularidades e atividades suspeitas”. A investigação, que está sendo sediado em Los Angeles, tenta determinar se os projetos anunciados pelo SFK e assinados pela célebre Madonna, que tem arrecadado mais de US$ 33 milhões desde a fundação da organização, chegaram a ser implementados e materializados. Alguns dos doadores da organização passaram a duvidar sobre a realização dos projetos, como a rica herdeira Courtenay Geddes, cujo advogado detalhou em entrevista com a News Corporation “que esta investigação é simplesmente a ponta do iceberg” e pediu para que as contas da organização sejam tornadas públicas. No website da organização, a SFK afirma que já melhorou a vida de mais de 60, 000 crianças em diversos países, incluindo países como o Brasil, Panamá e Costa Rica até Rússia e Israel, passando por Malaui, país africano em Madonna adotou dois de seus filhos, David Banda e Mercy James. Segundo a publicação, a investigação também é centrada no Centro Internacional da Kabala de Los Angeles, que já recebeu milhões de dólares de doações de Madonna, ajudando a formar outro projeto de caridade chamado Raising Malawi. O mesmo site relata sobre um recente trabalho solidário de Madonna, que passou por problemas no mês passado e teve que ser suspenso a criação de uma nova fundação a favor das crianças pobres de Malawi. A polêmica surgiu quando o fracasso deste projeto se relacionou com os excessivos gastos, aproximadamente US$ 3,8 milhões, que Raising Malawi havia destinado à projetos que não produziram resultados. Via: EFE