Elizabeth Taylor é enterrada perto do eterno amigo Michael Jackson

E! News | Faz 6 anos

 
Elizabeth Taylor, que faleceu nesta última quarta-feira aos 79 anos na Califórnia vítima de uma insuficiência cardíaca, se converteu ao judaísmo em 1950. Sempre fiel às práticas dessa religião, ela foi enterrada 24 horas após a sua morte no cemitério Forest Lawn de Glendale, Los Angeles. Vencedora do Oscar pelo papel em Butterfield 8 (1960) e Who's Afraid of Virginia Woolf? (1966), a eterna Cleópatra (1963) foi símbolo de glamour de Hollywood durante a sua vida, em que casou 8 vezes e juntou uma importante coleção de jóias. Sempre temperamental e apaixonada, como uma própria diva, ela quis mostrar isso até no seu enterro. Por vontade própria, solicitou que seu corpo chegasse 15 minutos atrasado. E seu desejo foi realizado. Seu caixão foi avaliado em US$ 11 mil, decorado com gardênias, violetas e lírios, e ela escolheu o mesmo cemitério que o eterno amigo Michael Jackson foi enterrado em 2009. O enterro, conduzido pelo rabino Jerry Cutler, durou uma hora e incluiu a leitura de um poema de Gerard Manley Hopkins, The Leaden Echo and the Golden Echo, lido pelo ator Colin Farrell. Os restantes poemas foram lidos pelos filhos da estrela, Michael Wilding e Liza Burton. Rhys Tivey, neto de Liz, interpretou o tema Amazing Grace no trompete. O funeral público de Elizabeth Taylor está sendo organizado, mas a data ainda está pendente para confirmação.