Dr. Conrad Murray faz grande encomenda de propofol antes da morte de Michael Jackson

E! News | Faz 5 anos

 
Bang!
Dr. Conrad Murray pediu 15 litros de propofol para um farmacêutico. Foi isso que a corte ouviu ontem, 04. O médico, que está em julgamento pela morte de Michael Jackson (que morreu por intoxicação de propofol em junho de 2009), disse à Tim Lopez que o poderoso anestésico foi pedido à farmácia especial, Applied Pharmacy Serveicer, em abril de 2009, para vários pacientes da sua clínica em Los Angeles. As autoridades disseram que Murray não tinha uma clínica na Califórnia. “Ele me pediu especificamente para encontrar preços e disponibilidade de propofol e sacos normais de soro fisiológico IV”, disse Lopez. A testemunha disse a corte de Los Angeles que ele nunca tinha vendido a droga antes, mas mandou um pedido inicial de 35 frascos (10 garrafas de 100 ml e o restante em garrafas de 20 ml) para uma cirurgia de Murray três dias depois. O médico removeu alguns frascos do pacote e mandou que o resto fosse enviado para a sua clínica em Los Angeles, apesar do endereço fornecido ser do apartamento que ele dividia com Nicole Alvez e o filho recém-nascido. Três semanas depois, Murray pediu por mais 40 frascos grandes e 25 de 20 ml. E fez o mesmo no mês seguinte, disse Tim. O último pedido do médico foi dia 10 de junho de 2009, 15 dias antes da morte do cantor. Ele pediu 40 frascos grandes e 50 pequenos. A testemunha afirmou que seu primeiro contato com Murray foi em 2008, quando ele estava procurando por um creme médico usado para o branqueamento da pele. Ele tinha dito que tinha pacientes com vitiligo (a doença de pele que todos acreditam que Michael, que causa a descoloração da cor da pele). Murray nega o homicídio culposo, mas pode pegar até quatro anos de prisão se for condenado. O caso continua...