Corpo de Tony Scott passa por autópsia

E! News | Faz 5 anos

 

FRANCOIS GUILLOT/AFP/Getty Images



Diretor de Top Gun poderia ter câncer quando decidiu cometer suicídio






Ninguém nunca saberá o que passou pela mente de Tony Scott antes dele pular de uma ponte de Los Angeles no sábado, 18.

Mas a busca por algumas respostas começou ontem, quando o corpo do diretor passou por uma autópsia, em meio a boatos de que ele sofria de um câncer inoperável no cérebro.

Entretanto, a mulher de Scott, Donna Wilson, contou ao chefe de polícia que ele não sofria da doença, e o legista Ed Winter afirmou que não poderia confirmar o diagnóstico sem completar o exame no cérebro do diretor.

Sua morte está sendo investigada como suicido, mas, como costuma acontecer, a causa oficial da morte ainda está pendente esperando os resultados dos testes toxicológicos.

Julian Bray, descrito como um amigo de Scott, contou ao Sky News que o diretor de Top Gun tinha um histórico de depressão.

De acordo com as autoridades, o diretor deixou um bilhete com informação de contatos em seu carro, além de um bilhete de suicídio encontrado mais tarde em seu escritório.

E enquanto as questões continuam suspensas, uma coisa parecia ser certa: Scott e Tom Cruise estavam determinados a finalmente fazer Top Gun 2.

Segundo o The Hollywood Reporter, os dois já haviam começado a trabalhar em uma sequência para o filme de 1986, e, aparentemente, eles até fizeram uma visita a estação aeronaval de Nevada, na semana passada.

As conversas sobre o filme começaram em novembro de 2010.

"Nós temos falado disso desde que o filme saiu e foi um grande sucesso", disse o produtor Jarry Bruckeimer ao E! News na época.

Os executivos da Paramount confirmaram em maio que os planos estavam confirmados para o retorno de Cruise, Scott, Bruckheimer e Peter Craig como roteirista.