Colin Farrell fala sobre seu novo filme, o remake de ” A Hora do Espanto”

E! News | Faz 5 anos

 
Most Wanted /ZUMAPress.com
Muitos adorariam ter como vizinho Colin Farrell, mas a coisa muda se estivermos falando da novva versão de Fright Night, ou em português, A Hora do Espanto, que estréia amanhã nos Estados Unidos, sua bela aparência humana esconde um vampiro implacável e insaciável. “Há alguma coisa muito sexua nos vampiros. E o ato de morder é muito erótico”, afirmou ao tor irlandês em uma coletiva de imprensa, “Não sei se fizemos um bom trabalho, mas espero que seja tão bom de assistir quanto foi de gravar”. Farrell está de volta a Hollywood. Há vários anos vem filmando filmes independentes, como In Burges (2008), Triage (2009) e Ondine (2009), atualmente faz sucesso com a comédia Quero Matar Meu Chefe, e agora volta a uma produção de terror repleta de elementos cômicos. “Tive uma época fazendo muitos dramas com personagens muito extremos e complicados. Todos tratavam de temas profundos e estava preparado para fazer algo diferente do que havia feito nos últimos 10 ou 15 anos, tinha a confiança para isso”, contou ele. Seu vampiro, Jerry, no entanto, não é do mesmo clube dos vampiros de Crepúsculo. E também não é uma sombra do mesmo vampiro feito por Chris Sarandon no filme original, de 1985, que era encantador e carismático, o de Farrell é autêntico e predador. “Fico encantado com o travalho que fez Chris Sarandon”, admitiu o ator. Sarandon deu sua aprovação ao projeto e inclusive se animou em participar de uma cena como um agrado aos fãs. “Aquilo foi uma benção, ele gostou do script, pareceu muito divertido e quis participar do elenco”, contou Farrell. O personagem de Chris na filmagem original é uma de suas atuações mais lembradas, por isso, o roteirista Marti Noxon deu a ele um papel de uma dimensão diferente na nova versão. “Com 10 ou 11 anos estava apaixonado por este personagem” contou o ator, “Era um vampiro digno, elegante e ameaçador, mas não queria que fosse igual. Meu vampiro é mais cruel e malévolo, muito sexual e arrogante. Sem medo, remorsos e nada romântico. O personagem foi diferente e resultou em algo libertador”, disse ele. O filme, dirigido por Craig Gillespie, segue a história em que Charley (Anton Yelchin), um dos estudantes mais populares do colégio, namora a garota mais desejada do lugar (Imogen Poots), o que afeta sua relação com o melhor amigo, interpretado por Christopher Mintz-Plasse. Tudo é praticamente perfeito na vida do jovem, até que Jerry chega ao bairro e começa uma relação com sua mãe (Toni Colette), e também a realizar algumas atividades estranhas, e Chaley começa a desconfiar que Jerry seja na verdade um vampiro. SAIBA MAIS: Taylor Lautner e Taylor Swift juntos mais uma vez? “Me sai bem. Creio que o meu vampiro sente uma fascinação doentia pelos humanos. É algo parecido com o que acontece com uma criança ao assistir o vôo de uma borboleta antes de rasgar sua asa”, declarou Colin, que não ingere uma gota de álcool desde que saiu de sua reabilitação, há seis anos atrás. Parte da decisão está ligada a seus filhos, James, de sete anos, e Henry, que em setembro terá dois anos. E a forma com que lidou com sua carreira também. “No começo da carreira de ator não existem opções”, refletiu, “Vá a quantos testes conseguir e simplesmente espere uma resposta. Assim que construi minha carreira, e agora sei que sou sortudo. Tive sorte desde muito cedo, e já faz algum tempo que posso escolher o que quero fazer”. Tanto é que já escolheu participar de outro remake, o de O Vingador Do Futuro, o clássico feito por Arnold Schwarzenegger em 1990. O filme está sendo gravado atualmente e sua estréia é prevista para agosto de 2012. “A minha intenção é buscar experiências distintas. Quanto mais contraste entre as coisas que faço, melhor”, finalizou o ator.