Carey Mulligan fala sobre como foi se apaixonar por Ryan Gosling!

E! News | Faz 5 anos

 
Kevin Winter/Getty Images
OK, ele fez seu diretor chorar, mas Ryan Gosling não pode ser tão terrível assim, certo? “Meu trabalho neste filme era me apaixonar por Ryan Gosling”, disse Carey Mulligan na coletiva do filme Drive na Comic-Con. “Ele foi incrível, um cara muito legal”, disse a atriz. “Ele é tão doce”. “Ele passou meses antes das filmagens procurando saber tudo que podia sobre carros. Ele construiu seu próprio carro para o filme... e aprendeu a fazer acrobacias com ele! Ele era uma máquina. Todos o amavam, ele era um sonho, ele era incrível!”. Mas parece que esse filme (sobre um homem que faz acrobacias com carro, dirige para criminosos e acaba se apaixonando por uma mulher casada, cujo marido foi condenado e está com problemas com homens muito perigosos) quase não ficou pronto, graças a um “encontro as cegas” entra Gosling e o direto Nicolas Winding Refn. O cineasta dinamarquês, que recentemente ganhou o prêmio de melhor diretor no festival de Cannes, lembrou que tinha tomado muitas “drogas” quando conheceu a estrela de Namorados Para Sempre, a quem ele dá créditos por terminar o filme. “Eu estava tão drogado, alto como uma pipa. Literalmente, eu não conseguia me lembrar de nada”. E seu pescoço ainda estava machuada, então ele não podia nem olhar diretamente para Gosling durante o jantar, disse Refn ao público no Hall H. “Foi como um encontro as cegas na vida real; ninguém ia se dar bem naquela noite”, ele continou. “Nós simplesmente não tivemos conexão alguma, porque eu estava tão longe... Eu estava reagindo devagar, e Ryan devia estar se perguntando ‘Quem é esse cara europeu?” Então, Refn, que não dirige em L.A., perguntou a Gosling se ele podia levá-lo em casa. Mesmo pensando porque Refn não podia pegar um taxi, ele concordou. No caminho para a casa do diretor, eles ficaram em silêncio, até o começar a tocar REO Speedwagon. “Eu começei a chorar... e depois comecei a cantar a música”. Finalmente, quando chegaram, Refn disse a Gosling que Drive é “sobre um homem que dirige pela noite ouvindo música pop, e esse é seu momento para liberar as emoções”. Gosling gostou, e então eles fizeram o filme. “Aquilo foi um ótimo encontro que nos levou a uma apaixonada e estranha relação”, concluiu Refn. Depois, quando perguntando sobre como ele se sentia em trabalhar com Gosling, o companheiro de cena disse Ron Perlman, “Eu não sinto nada”.