Apresentação de Nicki Minaj no Grammy é criticada pela Liga Católica

E! News, Grammy Awards, | Faz 47 anos

 

Larry Busacca/Getty Images



Se Nicki Minaj cruzar com um enxame de gafanhotos nos próximos dias, pelo menos ela vai saber o motivo.

Não contente em aparecer com um falso Papa no tapete vermelho do Grammy, a rapper fez uma apresentação bastante polêmica no palco da premiação na noite de domingo, 12.

E é claro que a Liga Católica não perdeu tempo para condenar a cantora de Roman Holiday por seu exorcismo durante o show, que foi bastante completo, com meninos do coral, bispos, água benta, levitações e até mesmo um confessionário.

Em outras palavras, tudo o que você precisa para uma boa e velha controvérsia.






LEIA TAMBÉM: Nicki Minaj desbanca Lady Gaga no tapete vermelho do Grammy





O presidente da Liga, Bill Donahue, foi bem rápido para apontar seu desagrado com a conotação da performance, comentando em um post da Liga Católica entitulado "Nicki Minaj está possuída?" na manhã de ontem, 13.

"Nicki Minaj, logo após ser uma tola com Madonna no Super Bowl, apareceu na noite passada no tapete vermelho do Grammy com um cara vestido como o Papa. E isso foi só um prelúdio do que estava por vir", escreveu ele.

"A apresentação de Minaj começou no palco com uma sátira de uma confissão. E isso foi seguido de um vídeo simulando um exorcismo. Com vitrais ao fundo, ela apareceu no palco com um coral de meninos e monges dançando".

Mas, de acordo com Donahue, a coisa ficou muito pior depois.





"Talvez a parte mais vulgar tenha sido a simulação sexual, que mostrou uma dançarina semi-nua alongando as costas enquanto um garoto do altar ajoelha diante de suas pernas para rezar. Finalmente 'Come All Ye Faithful' foi cantada enquanto um homem posando como um bispo andou até o palco e Minaj começou a levitar".

E Donahue também estava disposto a espalhar a culpa por ai...

"Nada disso foi feito acidentalmente, e tudo isso foi aprovado pela The Recording Academy, que controla o Grammy. Se Minaj está possuida é uma questão em aberto, mas não há dúvida sobre a irresponsabilidade da The Recording Academy. Eles jamais deixariam um artista ofender o judaísmo ou o islã".

Logo após sua apresentação no Grammy, o Twitter explodiu com comentários sobre o assunto, e até mesmo Sherri Shepherd comentou o ocorrido.

"Assistindo a Nicki Minaj... Não sabia se dançava ou se pegava uma Bíblia e colocava as mãos na TV... Muito velha para o #Grammy".

E de sua parte, Nicki defendeu sua performance. Ao conversar com Ryan Seacrest em seu programa de rádio na manhã de ontem, 13, e alegou que ela só estava interpretando o papel de um homem chamado Roman e que ela escreveu a história desse alter ego por dois anos.

"Ele é a parte principal de um filme que eu estou escrevendo e é um dos meus alter egos", disse ela, "O nome dele é Roman e a figura religiosa está ali porque foi chamada pela mãe de Roman para reabilitá-lo".

"Eu tive uma visão para Roman, para ele ser exorcizado, mas as pessoas ao redor dele falam que ele não é bom o suficiente, que ele não é normal, e que não se encaixa como a maioria. Ele queria mostrar que não só é incrível e confiante, mas que ele jamais será exorcizado e que quando as pessoas jogam água benta nele, ele se ergue acima disso".

O que? Não ficou claro?!

Alguém precisava preencher a lacuna deixada por Lady Gaga...




21221223435 por YardieGoals