Aplicativos Lulu e Tubby causam polêmica

E! News | Faz 3 anos

 
Soup - Lulu 1



Entenda o hype dos apps






Depois de todo mundo se amar (ou quase) no Tinder, dois novos aplicativos estão dando o que falar: o Lulu e o seu rival, Tubby. O primeiro criado para as mulheres avaliarem os homens e o segundo para os homens avaliarem a performance sexual das mulheres – isso mesmo que você leu!

Tinder: confira dicas para arrasar no app

Apesar de ambas ideias parecerem absurdas, os dois apps estão causando polêmica e também fazendo sucesso pela rede.

Através do Lulu, as mulheres, únicas que têm acesso ao aplicativo, podem avaliar os homens que têm em sua lista do Facebook. A avaliação é feita a partir de questões de múltipla escolha, que no final geram uma nota de 0 a 10 – e a média geral aparece embaixo do perfil do cara. As notas vêm acompanhadas por algumas hashtags como #usaryder e #lindotesãobonitoegostosão e outras menos inocentes.

"Quando você quer saber sobre um cara, você não quer saber em quem ele votou ou sobre o que ele escreveu em um trabalho na faculdade. Você quer saber se ele tem boas maneiras, se ele é legal", disse Alexandra Chong, criadora do Lulu, ao New York Times

Leve o E! Online Brasil no bolso! Baixe o aplicativo do E! na Apple Store, Google Play ou Blackberry App World

Entretanto, o app criou polêmica, principalmente entre os homens, que não gostaram nada de ser avaliados e principalmente, ficar com uma nota ruim. Enquanto já existem pacotes que podem ser comprados para dar um up na avaliação, os homens podem apagar seu registro no app.



Aplicativos Lulu e Tubby

Reprodução




Pouco tempo depois da polêmica do Lulu, veio a resposta masculina, o Tubby, em homenagem ao nome do personagem Bolinha em inglês. O aplicativo tem hashtags um tanto pesadas para avaliar as mulheres de forma mais especifica ainda, já que o próprio site do app promete: "Sua vez de descobrir se ela é boa de cama".

Siga o E! Online Brasil no Twitter

"Este é um app para homens relatarem suas experiências, apenas. Não o consideramos machista", disseram os criadores do projeto, dois meninos e uma menina, ao site da Veja.

Assim como no Lulu, as mulheres que se sentirem incomodadas com as avaliações podem excluir seu perfil do banco de dados, e hashtags ofensivas também serão excluídas.