Andy Murray ganha em Wimbledon o ouro olímpico

E! News | Faz 5 anos

 

Clive Brunskill/Getty Images



Tenista escocês derrotou com contundência Roger Federer, o número 1 do mundo, na final do torneio olímpico de tênis, e alcança uma vitória histórica para o tênis britânico e, além disso, finalmente é consagrado como uma das grandes figuras do tênis mundial.

Murray tinha vontade de mostrar sua qualidade de jogo no evento esportivo mais importante do mundo, e o fez, pisando no chão de Wimbledon com uma pontuação de 2 a 6, 1 a 6 e 4 a 6 o que lhe torna hoje o herói nacional de seu país, e o britânico de maior sucesso no esporte.

As lágrimas derramadas por sua família na arquibancada durante a cerimônia de medalhas contrastou, no entanto, com tímidos sorrisos e amostras sóbrias de celebração de sua parte no topo do pódio olímpico. Talvez Murray ainda não estivesse plenamente consciente de que tinha feito o grande jogo de sua vida, e pulverizado seu recente rival no tornei de Wimbledon.






O feito do britânico é ainda mais valioso, considerando que derrotou nas duas últimas rodadas os dois melhores jogadores do mundo, Federer e Djokovic, aplicando neles seu melhor nível de jogo visto até agora. A arquibancada central vibrava diante de uma sucessão de potentes jogadas, disparos cheios de pressão e bons reflexos em momentos-chave que deslocaram e fizeram do suíço um mero espectador em uma disputa que desde o início, estava deixava claro quem dominava.

Apesar da igualdade de forças que caracterizaram os primeiros minutos do jogo, Murray rapidamente distanciou no primeiro set ao quebrar o jogo do suíço e, a partir daí, propiciou um espetacular monólogo impossível de ser contido até mesmo por uma lenda do tênis como Federer.

Impotente e frustrado durante a batalha, o jogador da Basiléia não teve escolha senão manter a calma e dignidade, como jogador de tênis em uma partida que já parecia perdida.

A única ocasião em que dificultou o jogo para o escocês, foi um par de chances  que teve para quebrar seu saque no segundo set, mas que desapareceram no momento em que Murray intensificou a potência do seu jogo, que não diminuiu até o último ponto para ser coroado como campeão olímpico.