A noite sem fim da colombiana Caterine Ibargüen

E! News | Faz 5 anos

 

EFE



O que espera uma medalhista olímpica nas primeiras horas após a sua vitória? No caso da atleta sul-americana Caterine Ibargüen, que ganhou a terceira prata olímpica para seu país na disciplina de salto triplo, muitas pessoas podem ter pensado que seus esforços heróicos seriam recompensados ​​com uma celebração digna de uma atleta de seu nível ou ao menos com uma noite de descanso profundo e merecido. No entanto, a realidade torna-se diferente, já que nos dias de hoje, nenhuma figura pública que se preze pode ganhar uma medalha olímpica e tentar passar despercebida pela mídia.

O fato é que Caterine resolveu continuar trabalhando até altas horas da manhã, porque atender a imprensa agora é mais uma tarefa de rotina no trabalho de todo atleta de elite. Desde a ascensão ao pódio e até a hora que foi dormir em seu quarto na Vila Olímpica, passaram intermináveis horas ​​em que, trabalhava ao ritmo frenético das atividades públicas, recebeu muitos parabéns e demonstrou como se sentia emocionada em diversas ocasiões.






"Caterine esta durante toda a manhã dormindo e descansando, pois foi deitar por volta das quatro ou cinco horas da manhã. Nós não tivemos tempo para lhe preparar uma homenagem adequada nem celebrar seu triunfo, já que estávamos o tempo todo atendendo a imprensa em um hotel da cidade. E esta tarde continuaremos com os compromissos públicos".  Revelou Alberto Galbi, diretor de comunicação do Comitê Olímpico Colombiano, em conversa com a agência BANG Showbiz.

As altas expectativas que gera hoje a figura de Caterine não se limitam a obtenção da medalha de prata em Londres 2012, mas ao seu novo status como lenda ao se tornar a primeira medalhista olímpica na história do atletismo colombiano. Por esta razão, a saltadora terá poucos dias para saborear seu triunfo na cidade onde seu mito foi realizado, já que logo deixará a capital britânica ruma a uma Colômbia que a espera de braços abertos.

"Dois dos nossos medalhistas já voltaram, e Caterine fará o mesmo nos próximos dias. Já que na Colômbia, lhe esperam as homenagens e a recepção do presidente (Juan Manuel Santos) para todos os nossos atletas. Tivemos muito pouco tempo para as celebrações em Londres'', acrescentou o próprio líder.





Olimpíadas: Corpos sarados

Alex Morgan, USA