A defesa de Conrad Murray usou uma carta de sua mãe para pedir ao juiz que ele cumpra sua pena em liberdade

E! News | Faz 5 anos

 
Dr. Conrad Murray (Al Seib-Pool/Getty Images)
A defesa de Conrad Murray trouxe a artilharia pesada: um bilhete de sua mãe. Desde que o médico foi declarado culpado pela morte involuntária de Michael Jackson, os advogados de Murray juntaram uma grande quantidade de cartas de seus familiares, amigos, pacientes e colegas de trabalho em um esforço para que o juiz pensasse melhor sobre a possível liberdade condicional ao invés de declarar sua prisão na audiência que vai definir sua sentença - que acontece na tarde de hoje, 29. “Nada assim já aconteceu com ele antes”, diz a carta da mãe de Murray, Milta Rush, obtida pelo E! News, “Ele nunca teve problemas com a lei antes e eu mal fico de pé, preocupada que ele seja preso”. Mas Milta não precisa se preocupar tanto assim, afinal, de acordo com o advogado de defesa Troy Slaten, devido à lei de realinhamento que entrou em vigor em outubro, mesmo que o juiz da Corte Superior de Los Angeles, Michael Pastor, sentencie Murray com a pena máxima de quatro anos, ele não vai chegar a ficar preso por tanto tempo. A nova lei considera que os infratores não-violentos podem responder em liberdade ao invés de permanecerem presos, ainda mais porque as prisões da Califórnia estão lotadas. “Mesmo que ele seja sentenciado por 4 anos, ele não vai permanecer na prisão”, disse Slaten ao E! News, “Três anos na prisão estadual não significa que você vá mesmo para a prisão”. “Não há celas para todos nas prisões do estado, então ele vai para a prisão municipal”, continuou ele, “E não há celas nela também. Ele provavelmente vai fazer de 10 a 20% de sua sentença, mas é com o xerife. E o xerife não o quer em uma prisão municipal, é muito arriscado para ele. Ele provavelmente terá alguma alternativa, trabalho comunitário ou prisão domiciliar”. Mas a mãe de Murray espera que o filho, que está preso desde sua condenação em 7 de novembro, não tenha que ficar mais atrás das grades. “Eu simpatizo com a senhora Jackson como mãe”, diz a carta de Rush, “Eu sinto a dor dela por ter perdido um filho... E eu sinto muito por sua perda. Juiz Pastor, Conrad é o meu filho, e como mãe devo dizer que o conheço de dentro para fora. Ele sente muito pelo que aconteceu com Michael e não tinha más intenções com ele. Eu humildemente peço que você considere tudo o que eu disse sobre Conrad com o coração, e peço pela sua compaixão em dar-lhe serviço comunitário ou prisão domiciliar”. A sentença de Murray começa às 8h nos Estados Unidos, e o E! Online vai transmitir ao vivo através do site. LEIA TAMBÉM: Conrad Murray quer testemunhar no dia de sua sentença