E! News /

Grandes revelações Demi Lovato ainda se corta e sofre de bulimia? "Não sou perfeita", diz ela

GADE/AKM-GSI



Demi Lovato, que se internou em uma clínica de reabilitação em 2010 para tratar de desordem alimentar, automutilação e depressão, e acredita que seus problemas começaram no colégio quando tinha apenas 12 anos de idade.

"Eles me chamavam de prostituta e diziam que eu era gorda e feia. Eu não deveria ter escutado, meu coração apertava e doía. Pensei que talvez eu não tivesse amigos, porque eu era muito gorda", a cantora de 20 anos contou à revista Fabulous. 






Para ela, naquele momento, ela precisava tomar alguma atitude e se afundou no mundo da bulimia, perdendo 13 kg em seis meses e pesando apenas 40kg.

"Eu vomitava umas seis vezes ao dia. Minha mãe estava preocupada, porque eu estava passando pela puberdade e estava tendo surtos de crescimento, ela assumiu que era por isso que eu estava magra", disse a atriz. 

Mas quando a perda de peso não era suficiente para a fazer feliz, ela procurou outro tipo de fuga: a automutilação como uma forma de lidar com sua dor. 

"Comecei com os pulsos. Porém era um lugar que todos conseguiam ver, então, eu cortava em lugares escondidos. Você faz isso porque se sente muito mal por dentro. Você não sabe como extravasar isso", explicou.

Só que a pressão foi tamanha que isso tudo não era para suficiente para ela. Até que chegou um belo dia e acabou explodindo e agredindo uma das dançarinas de seu show durante uma turnê com os Jonas Brothers. Incidente que a levou à reabilitação.

"Não foi ideia minha, mas eu não a contrariei. Foi realmente muito difícil e assustador. Eu estava com saudades de casa e solitária e, por várias vezes, eu pensei: 'Eu vou embora'. Mas minha mãe me disse que eu iria me arrepender, que esta era minha única chance", refletiu ela.

"Eu tinha 14 horas de terapia por dia. Ouvia música e aprendi a tricotar. Quando finalmente saí, era como estar deixando a prisão", contou a estrela americana. 

Hoje, Demi se sente melhor, mas admitiu que já teve suas recaídas. "Não posso dizer que não vomitei desde o tratamento. Não posso dizer que não voltei a me cortar. Não sou perfeita. É uma batalha diária que terei que encarar o resto da minha vida", declarou.